standvirtual.com Vender Veículo

10 dicas para evitar comprar um carro acidentado

10 dicas para evitar comprar um carro acidentado

Para evitar arrependimentos e conflitos decorrentes da compra de um carro acidentado, é importante realizar uma análise minuciosa do veículo e do seu histórico. É o momento para deixar brilhar o Sherlock Holmes que há em si, seguindo à risca os dez passos que aconselhamos a dar para fazer uma compra mais segura, sendo que dividimos a investigação em duas áreas fundamentais: documentação e mecânica.

Como saber se vai comprar um carro acidentado

Ainda antes de investigar o veículo, é relevante analisar todos os documentos e as informações associadas aos mesmos

1. Pesquisa com o número de identificação do veículo (VIN)

O VIN é um código de 17 dígitos, composto por números e letras, que permite saber o país de origem do carro, fábrica onde foi produzido, ano de produção, modelo e tipo de motor, entre outros. Utilize o VIN para fazer uma pesquisa online (gratuita) e ficar a conhecer o histórico cronológico do veículo, dados técnicos e equipamentos, registos de danos e colisões, quilometragem real, fotografias publicadas em sites de vendas e registo nos bancos de dados de veículos roubados.

Artigo relacionado: Como verificar se os quilómetros são verdadeiros?

2. Pesquisa através da Certidão Permanente Automóvel

A Certidão Permanente Automóvel contém dados atualizados em tempo real sobre a propriedade de um veículo, identificação do automóvel e do seu proprietário e encargos que existam sobre o veículo, bem como pedidos pendentes. Válida por seis meses, pode ser pedida ou consultada por qualquer pessoa ou empresa. A forma mais simples de o fazer é através da internet, no site Automóvel Online: o código de acesso custa 10€, a certidão em papel custa 17€ e tem de ser pedida num balcão do IRN ou numa Loja de Cidadão.

3. Consulte o livro de revisões e os registos da inspeção periódica

Estas registos revelam problemas anteriores ou mesmo atuais do veículo. Ainda que possam não estar atualizados ou ser coerentes com o estado do automóvel, permitem saber alguma coisa sobre a assistência ou manutenção, bem como se as revisões recomendadas foram realizadas de forma correta e em local apropriado. As folhas de inspeção revelam problemas passados do veículo.

4. Investigar o seguro automóvel

Caso a matrícula do veículo se encontre registada e o registo estiver atualizado na base de dados nacional, pode obter informações sobre o veículo no portal do consumidor da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF), de forma a garantir que não vai comprar um carro acidentado. Poderá ficar a saber se o veículo tem seguro ou não (não ter pode indicar que está parado há algum tempo…) e, em caso afirmativo, aceder a informação sobre a entidade seguradora, número da apólice e data de início e fim do seguro.

Tudo aparentemente certo com os documentos, passamos à segunda fase, a da inspeção da mecânica e da carroçaria. Aqui, a não ser que seja especialista na área, aconselhamo-lo a fazer-se acompanhar de um mecânico. Se for sozinho, questione o vendedor sobre tudo o que considerar relevante e investigue alguns pontos específicos.

Artigo relacionado: Checklist para comprar carro usado

5. Inspecione o chassis

Em primeiro lugar, confira se o número do chassis inscrito nos documentos é o mesmo que está registado na chapa de identificação presente no veículo e no Documento Único Automóvel (livrete). Número diferente ou com aparência de ter sido adulterado, pode significar que o carro esteve envolvido num sinistro grave que tenha obrigado à substituição da carroçaria. Mais grave ainda: pode tratar-se de um automóvel roubado.

6. Procure a informação dos vidros

À semelhança do chassis, também os vidros têm número de série, além da origem e nome do fabricante. Se os dados nos vidros do automóvel divergirem, significa que já foram substituídos, o que pode indicar quebra acidental, é certo, mas também que o carro seja acidentado.

7. Verifique a pintura

Leve o carro até um local bem iluminado e verifique se há diferenças entre as cores de todos os painéis. Este é um importante indicador sobre se o veículo já foi reparado devido a um sinistro. Portas e para choques são pontos estratégicos para detetar reparações de pintura. Se a pintura lhe parecer diferente nalgum local, dê pequenas pancadas nessa zona. Se o som for diferente, pode ter sido utilizada massa plástica para corrigir a amolgadela…

8. Procure por desníveis nas portas e outros danos

Confirmar se há desnivelamento das portas, do capot e da bagageira. Se houver, ou se as portas não abrirem ou fecharem bem, é quase certo que o carro foi reparado e que, muito provavelmente, esteve envolvido em acidentes. Dobradiças e hidráulicos que não sejam de origem são de suspeitar.

 

Vai trocar de carro? Faça uma pesquisa no Standvirtual

 
9. Veja os faróis e óticas

Verifique se as óticas são todas iguais e do mesmo fabricante. Quando um carro sofre um acidente é comum trocar somente o farol ou a ótica que ficou danificada. Luzes avariadas ou desalinhadas merecem um segundo olhar.

10. Faça um test-drive

Guiar o carro que se pretende comprar é fundamental. Deverá fazê-lo tendo atenção a qualquer ruído ou folga, sendo que os ruídos mais importantes são provenientes das suspensões. Se sentir a direção desalinhada, exija que seja corrigida antes de fazer negócio. E se houver necessidade de fazer um ajuste exagerado, desconfie, pois é provável que o veículo já tenha batido.

 
Leia também:

5 carros usados a gasolina por menos de 20.000€

Comprar carro importado: vantagens e desvantagens

Comprar carro novo, seminovo ou usado?

Redes sociais:
Dúvidas no Standvirtual?

Aceda à secção de Ajuda

210 738 088 * * Dias úteis das 09h às 18h