standvirtual.com

O Nº 1 em Carros
Vender Veículo

Carro novo ou usado: qual comprar?

Carro novo ou usado qual comprar

Carro novo ou usado: qual comprar? Veja as vantagens e desvantagens de cada um e conheça algumas considerações a ter em conta na decisão final.

Nos tempos que correm, cada vez mais aumentam as vendas de carros usados. No entanto, também existem inúmeras formas de comprar um carro novo com preços e campanhas bastante apelativas.

No geral, a “mãe” de todas as questões centra-se essencialmente sobre dois termos: comprar carro novo ou usado. Para muitos, comprar um carro novo é sinónimo de garantia de fábrica, e por isso, significa obter um carro livre de problemas a curto médio prazo. Quando a questão passa por carros usados – mesmo os de qualidade – começamos, por norma, a subtrair algumas opiniões essenciais sobre o percurso de vida e as variáveis com que esse modelo já experienciou.

Geralmente, os condutores que pensam assim, associam de forma prática e resumida que a compra de um carro usado significa “comprar problemas”. Porém, há que analisar todas as questões e tirar todas as dúvidas antes de concluir o negócio e perceber que, nem sempre, os carros usados vivem da mesma conotação.

Adquirir um automóvel usado, em bom estado, com poucos quilómetros, com um registo do ano da matrícula relativamente actual e a um preço acessível, pode revelar-se um bom negócio. Contudo, devem ser definidas as pretensões da sua compra. Se a sua intenção for comprar um carro usado para durar alguns anos na sua mão, deve ter em conta medidas preventivas aquando da sua aquisição.

Carro novo ou usado: qual comprar e qual compensa?


Carro novo ou usado qual comprar e como

Carro novo

Vantagens

  • Cada vez mais são os veículos que surgem no mercado com versões optimizadas que o levam a consumir menos e diminuem as emissões de CO2;
  • Personalizáveis – ao comprar um carro novo, poderá optar por extras consoante o seu gosto. Desde os elementos mais técnicos aos mais tecnológicos, sem deixar escapar as opções de configuração dos packs do design da carroçaria;
  • Menores encargos e problemas, a curto-prazo (à partida);
  • Menores custos de manutenção;
  • Garantia de confiança e segurança na compra.

Desvantagens

  • Tabela de preços mais elevados;
  • Desvalorização – um carro novo desvaloriza imediatamente após sair do concessionário;
  • Alguns modelos novos podem ir para o mercado com defeitos de fabrico, cujas correcções pela marca, podem ser demoradas.

Carro usado

Vantagens

  • Preços mais apelativos;
  • Alguns erros de fabrico podem já ter sido notificados e corrigidos pelo(s) anterior(es) proprietário(s);
  • A lei obriga os stands automóveis a darem garantia de carros usados.

Desvantagens

  • Maior risco na apresentação de encargos na manutenção;
  • Diferenças na aquisição entre um stand ou a um particular;
  • Não há nenhuma lei que obrigue um vendedor particular a dar garantia de carros usados ao comprador;
  • Obriga a uma pesquisa extensiva para que se encontre um bom negócio;
  • Análise do modelo de forma exaustiva e detalhada;
  • Devem apontar-se quais as peças ou componentes que irão necessitar de serem substituídas, para somar ao valor de venda do carro e perceber se a compra compensa ou faz sentido.

Comprar carro usado num stand: cuidados a ter

Carro novo ou usado qual comprar e que cuidados

Sabia que os stands são obrigados a dar garantia a carros usados? Além das vantagens e desvantagens já expostas, achamos de extrema importância fazer esta ressalva, pois, segunda uma análise da Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO), muitos são os stands automóveis que ignoram a lei, quando se trata de terem que assumir responsabilidades sobre carros usados vendidos com defeito.

Se se sente mais inclinado para a compra de um usado, e tenciona fazê-lo através do intermédio de um stand automóvel, fixe o que diz a lei no Artigo 5ºA do decreto-lei 84/2008 da Lei de Defesa do Consumidor, cujo tema é “Prazo para exercício de direitos”:

Artigo 5ºA: Prazo para exercício de direitos
1 – Os direitos atribuídos ao consumidor nos termos do artigo 4.º caducam no termo de qualquer dos prazos referidos no artigo anterior e na ausência de denúncia da desconformidade pelo consumidor, sem prejuízo do disposto nos números seguintes.
2 – Para exercer os seus direitos, o consumidor deve denunciar ao vendedor a falta de conformidade num prazo de dois meses, caso se trate de bem móvel, ou de um ano, se se tratar de bem imóvel, a contar da data em que a tenha detectado.
3 – Caso o consumidor tenha efectuado a denúncia da desconformidade, tratando-se de bem móvel, os direitos atribuídos ao consumidor nos termos do artigo 4.º caducam decorridos dois anos a contar da data da denúncia e, tratando-se de bem imóvel, no prazo de três anos a contar desta mesma data.
[…]
5 – A tentativa de resolução extrajudicial do litígio inicia-se com a ocorrência de um dos seguintes factos:
a) As partes acordem no sentido de submeter o conflito a mediação ou conciliação;
b) A mediação ou a conciliação seja determinada no âmbito de processo judicial;
c) Se constitua a obrigação de recorrer à mediação ou conciliação.

Em suma, a garantia de carros usados é de 2 anos, salvo se houver mútuo acordo, por escrito, em que ambas as partes envolvidas determinem reduzir o valor do veículo usado, e por sua vez, a sua garantia, para 1 ano (a duração mínima que a lei permite).

Comprar carro usado a um particular: cuidados a ter

Carro novo ou usado qual comprara particulares

Como não existe nenhuma lei que obrigue um vendedor particular a dar garantia de carros usados ao comprador, deve ter-se atenção redobrada face a alguns factores.

Se a compra for feita a um particular, o comprador deve fazer-se acompanhar por alguém especializado em mecânica automóvel, para garantir que o veículo usado é realmente de confiança.

Nestes casos, a DECO (Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor) recomenda que se recorra a um serviço especializado de inspecção de carros usados, disponível nas oficinas mecânicas.

Quanto à inspecção do carro, a DECO recomenda que “Comece por procurar vestígios de ferrugem na carroçaria, amolgadelas, mossas ou deformações”. Verifique, por exemplo, a abertura das portas e do capot, o estado dos pneus, as luzes e a pintura do veículo.

No interior, veja se há danos nos estofos, se os bancos e os cintos funcionam e se não há estragos nos espelhos, nos botões, na fechadura e na chave de ignição. Opte sempre por ligar o motor para verificar se há indicação de avarias ou revisões no painel. Analise o nível do óleo, a validade da bateria e o depósito de refrigeração.

Uma vez que formalize a sua resposta, trace um plano sobre o orçamento para a sua decisão final. Determine quantos quilómetros irá percorrer por ano, contabilize os gastos com o combustível escolhido do modelo seleccionado, as inspecções periódicas e não se esqueça de considerar as despesas de manutenção.

Leia também:

Carro novo ou usado: qual comprar?
Gostou deste artigo?
Redes sociais:
Dúvidas no Standvirtual?

Aceda à secção de Ajuda

211 450 361 * * Dias úteis das 09h às 18h