standvirtual.com O Nº 1 em Carros Vender Veículo

7 erros a evitar quando compra um carro usado

comprar carro usado

Se está a pensar em comprar um carro usado ou semi-novo há alguns factores que deve ter em conta antes de assinar o contrato final.

Seja porque não quer gastar muito dinheiro; porque considera que um carro novo desvaloriza demasiado rápido; seja porque motivo for, o mais importante é fazer uma boa compra. E uma boa compra exige um pouco de empenho por parte do comprador.

Muitas vezes, e porque não dominamos este assunto, podemos acabar por cometer erros básicos ou nem atribuímos a importância a detalhes que nos parecem simples. E quando se trata de carros em segunda mão, fazer a compra certa não é tarefa fácil!…

No entanto, existem algumas dicas práticas que pode aprender, que o irão ajudar numa compra mais segura e informada.

Veja, então, quais são os 7 erros mais cometidos ao comprar um carro usado.

7 erros mais comuns ao comprar um carro usado


riscos de comprar um carro usado

1. Comprar por impulso

Quando se trata de comprar um carro, e visto tratar-se de um investimento bastante elevado e de um bem que se espera duradouro, é preciso ponderar muito bem a compra que se vai fazer.

É importante, antes de mais, definir objectivos. Deve analisar qual o tipo de veículo de que precisa de acordo com as suas necessidades, e qual o seu orçamento disponível para esta compra.

Depois de escolhido o segmento, não se apaixone pelo primeiro modelo que vir, só porque gostou muito de algo nesse carro. Continue a pesquisa, e analise diferentes marcas e modelos.

Quando se trata de comprar um carro usado, dificilmente o carro que melhor corresponde aos seus objectivos será o primeiro que encontrar.

Se fizer uma compra por impulso, o mais certo será arrepender-se muito rapidamente. Mas depois de o negócio estar fechado, haverá, certamente, pouco a fazer.

Para facilitar a procura, no Standvirtual, por exemplo, consegue filtrar a pesquisa por cor, ano, tipo de combustível, lotação ou tipo de caixa. Por isso, encontrar o carro ideal para si está apenas à distância de alguns cliques.

2. Não comparar preços

Mesmo que já tenha decidido qual é exactamente o carro que quer, e mesmo que o negócio lhe pareça do outro mundo, compare sempre os preços e pesquise ao pormenor todas as informações sobre carros semelhantes àquele em que está interessado.

Por vezes, existem dois carros praticamente iguais à venda em pontos diferentes do país, mas os preços podem oscilar em várias centenas de euros.

Mais uma vez, a máxima mantém-se: não compre por impulso. Faça uma compra com base numa vasta pesquisa.

3. Não avaliar o negócio

Comprar carro usado significa, muitas vezes, negociar muitas coisas que podem ajudar a que o negócio se concretize de uma maneira mais vantajosa.

Mas nem sempre esta negociação ocorre de forma mais vantajosa para o cliente e, por isso, é necessário estar atento a diversos aspectos, tais como:

Retoma do carro antigo

Por vezes, os stands oferecem a opção de entregar um carro para retoma, baixando o valor do carro que pretende comprar. No entanto, esta opção nem sempre é vantajosa.

Investigue bem o valor do carro que pretende dar para retoma e veja se o valor oferecido por ele é realmente justo.

Conhecer e verificar todos os “extras” do carro

É comum os carros serem publicitados como tendo determinados “extras” mas, na realidade, não têm.

E os “extras” são, muitas vezes, utilizados para justificar um preço superior aos preços do mercado.

Verifique a lista de “extras” do carro e teste-os antes de efectuar a compra. E, já agora, veja se os “extras” apresentados são mesmo necessários e acrescentam valor ao carro.

Caso isto não se verifique, pode ser mais vantajoso optar por um carro que não tenha tantos “extras”, mas que seja mais barato.

Analisar o mercado automóvel

Prever o mercado automóvel não é fácil, mas avaliar a variação de preços da marca e de modelos anteriores àquele que pretendemos comprar, pode ajudar-nos a ter uma ideia de quanto valerá o carro que estamos a comprar daqui a alguns anos.

É também importante saber o valor do automóvel quando novo, para perceber a sua desvalorização.

Esperar pelo lançamento de uma nova versão do mesmo modelo é um dos momentos ideais para comprar um carro usado. Geralmente, o preço de um carro baixa quando é lançada uma nova versão desse mesmo modelo.

4. Não experimentar o carro

fazer um test drive

Fazer um test drive é a melhor forma de saber se aquele carro é exactamente aquilo que tinha em mente.

Para além de ver se é o modelo indicado para si , mais importante que tudo, é também uma boa maneira de perceber se o carro está em perfeitas condições.

Antes do test drive propriamente dito, deve verificar os seguintes aspectos:

Interior

  • Limpeza
  • Odor
  • Estofos e tapetes (danos)
  • Caixa de velocidades (estado geral e eventuais folgas)
  • Sistema de travagem (possíveis fugas)
  • Funcionamento dos instrumentos de bordo (piscas, faróis, limpa para-brisas, buzina, rádio, sistema de climatização, etc.)

Exterior

  • Limpeza
  • Estado da pintura (riscos, ferrugem, diferenças na pintura, etc.)
  • Estado da carroçaria (amolgadelas, desalinhamentos, etc.)
  • Pneus

Por baixo do capô

  • Limpeza (a limpeza em demasia pode querer indicar que se estão a tentar esconder fugas de óleo, por exemplo)
  • Estado e data de validade da bateria
  • Estado geral do motor e dos restantes componentes

Se ficou satisfeito com a primeira análise ao carro, faça o test drive.

Utilize, pelo menos, meia hora para testar o carro e, muito importante, tente andar com o carro em diferentes tipos de estrada.

Fique atento a ruídos estranhos e veja se o carro corresponde às suas necessidades.

5. Não pedir opinião a um mecânico

Se não temos conhecimento no assunto e vamos comprar um carro que não tem a garantia de “fábrica” (principalmente se comprados a um particular), devemos pedir ajuda a alguém especializado na matéria.

Peça sempre ao vendedor para levar o carro a um mecânico da sua confiança ou, pelo menos, peça a um mecânico para o acompanhar ao stand para fazer uma inspecção a todos os componentes.

Os mecânicos poderão facilmente identificar ruídos e sinais de desgaste que poderão passar despercebidos ao comprador.

Esta é uma forma de evitar futuros problemas e dissabores.

6. Não verificar o historial e os documentos do carro

Deve investigar, ao pormenor, o historial do automóvel, antes de realizar a compra.

Deve pedir a Certidão Permanente do Registo Automóvel no site Automóvel Online, ou numa conservatória do registo automóvel.

Também consegue, através do VIN (Número de identificação do veículo) do automóvel, fazer várias pesquisas online.

E peça ao vendedor para ver todos os documentos do automóvel:

  • Documento Único Automóvel (DUA) ou o Registo de Propriedade e o Livrete;
  • Ficha de inspecção (se for o caso);
  • Comprovativo de pagamento do Imposto Único de Circulação (IUC);
  • Livro de revisões do carro (caso exista).

7. Ver se o carro está ou não penhorado

Este ponto está relacionado com o ponto anterior. No entanto, resolvemos especificar para saber que existe esta possibilidade.

Quando se está a comprar um carro usado ou seminovo há um risco de este ter uma penhora associada.

Esta penhora só lhe vai trazer dores de cabeça e muitos problemas. Como tal, verifique sempre se o carro está ou não penhorado.

Não se esqueça, uma compra informada será sempre uma compra segura.

Leia também:

Redes sociais:
Dúvidas no Standvirtual?

Aceda à secção de Ajuda

210 738 088 * * Dias úteis das 09h às 18h