standvirtual.com O Nº 1 em Carros Vender Veículo

Países com a gasolina mais cara do mundo (inclui Portugal)

Paises com a gasolina mais cara

Conheça quais são os países com a gasolina mais cara do mundo. Uma lista com as 15 primeiras posições do ranking e que inclui Portugal.

A gasolina é considerada um bem de consumo, mas a sua importância nas nossas vidas é tal, que quase poderia ser considerada um bem de primeira necessidade. No entanto, e ao contrário dos bens de primeira necessidade, os combustíveis são um dos produtos mais tributados no nosso país, o que aliado ao facto de Portugal não ser um produtor de petróleo, fazem com que integre a lista dos países com a gasolina mais cara do mundo.

Apesar de a gasolina ser um produto “globalizado”, vendido no mundo inteiro, as condições que determinam o seu preço variam (e muito) de país para país, fruto da necessidade de importação, das políticas ambientais ou até mesmo dos impostos aplicáveis.

Conheça então quem ocupa actualmente as primeiras  15 posições dos países com a gasolina mais cara do mundo.

Países com a gasolina mais cara do mundo


Paises com a gasolina mais cara do mundo

15. Iémen – 1,40€/L

O Iémen é um dos países mais pobres do mundo, mas ainda assim, integra a lista dos países onde os preços do combustível são mais caros. O PIB per capita do Iémen está, segundo os últimos dados, ligeiramente acima dos 2300$, o que significa que em média cada cidadão tem um rendimento mensal de 190$, o que traduzido em euros será aproximadamente 170€.

Para uma família que precise percorrer cerca de 1000 quilómetros por mês, no Iémen, precisará de gastar aproximadamente 90€, o que corresponde a mais de 60% do salário médio mensal em combustível.

14. Zâmbia – 1,44€/L

Apesar do PIB per capita da Zâmbia ter quase quadruplicado nos últimos 20 anos, este continua a ser um dos países mais pobres de África, e o segundo país daquele continente com os preços da gasolina mais caros.

Com um salário médio mensal de 110€, cada Zambiano precisaria de gastar aproximadamente 100€ para poder percorrer 1000km por mês num carro a gasolina, o que corresponde a praticamente todo o salário mensal.

13. Portugal, Suécia e Finlândia – 1,46€/L

Portugal ocupa a 13ª posição da lista dos países com a gasolina mais cara do mundo, juntamente com Suécia e a Finlândia, onde o preço médio do combustível está actualmente nos 1,46€ por litro.

No entanto, e ao contrário de Portugal, tanto a Suécia como a Finlândia são uns dos países mais ricos do velho continente, onde o PIB per capita anual se situa nos 45 000€ anuais, ao passo que o português está apenas nos 18 000€.

Num carro a gasolina, e assumindo que este faz médias de 7L/100 quilómetros, cada português que percorra 1000km num mês precisará de despender mais de 100€ por mês apenas em combustível, quase 18% do salário mínimo nacional actualmente.

12. França – 1,47€/L

O preço dos combustíveis em França foi um dos motes dos protestos dos “coletes amarelos” no início de 2019.

Actualmente, num país onde em média cada pessoa tem um vencimento de 2900€ por mês, cada francês precisa de gastar aproximadamente 100€ para percorrer 1000km, praticamente o mesmo que em Portugal, apesar dos franceses terem um PIB per capita o dobro do português.

11. Israel e Uruguai – 1,50€/L

Israel já foi um dos países com a gasolina mais cara do mundo, no entanto, e sobretudo no último ano, o país assistiu a uma grande baixa no preço dos combustíveis. Por outro lado, o Uruguai, é o país sul americano onde a gasolina é mais cara, contrastando por exemplo, com a Venezuela, também um país sul americano, onde a gasolina custa actualmente menos de meio cêntimo por litro.

Cada Israelita ou Uruguaio precisará de sensivelmente 105€ para poder percorrer 1000km, sendo que o vencimento médio de um israelita é semelhante ao de um francês, e o de um uruguaio é ainda inferior ao dos portugueses. Duas realidades totalmente distintas.

10. Dinamarca – 1,51€/L

É conhecida a luta dos países nórdicos contra o uso do transporte individual devido à poluição causada por estes, e os governos desses países utilizam o preço extremamente elevado da gasolina como um trunfo para tentarem desencorajar os cidadãos a não usarem os seus carros. No entanto, os preços praticados ainda não assustam os dinamarqueses que em média recebem 14€ por cada hora de trabalho.

9. Itália – 1,53€/L

Os preços da gasolina em Itália não são baratos também, no entanto, este preço é também influenciado pela octanagem da gasolina, que no país dos “supercarros” é também oferecida com 100 octanas (ao invés das 98 octanas em Portugal).

Cada italiano gasta em média 8% do salário médio mensal para poder percorrer 1000km.

8. Grécia – 1,56€/L

A Grécia, tal como Portugal, atravessou uma grave crise económica que se iniciou em 2008, altura em que o salário mínimo foi diminuído em cerca de 200€. Actualmente, o salário mínimo na Grécia é de 680€, e cada grego precisará de gastar 110€ para percorrer 1000km, o que representa uma taxa de esforço semelhante à dos portugueses para abastecer o seu carro.

7. Barbados – 1,58€/L

Os Barbados são um pequeno país das caraíbas conhecido sobretudo pelo turismo, e sendo um país maioritariamente importador, vê nos impostos sobre produtos petrolíferos uma das suas maiores fontes de rendimento, motivo pelo qual este país, onde o PIB per capita é de 13 000€, esteja entre os países com a gasolina mais cara do mundo.

6. Islândia – 1,59€/L

Em 2017 a Islândia era o país com a gasolina mais cara do mundo, com cada litro a custar perto de 2€. No entanto, fruto do aumento das receitas do turismo, a Islândia pode abdicar ligeiramente da influência dos impostos nos preço sobre a gasolina, fixando esta actualmente em valores menos proibitivos.

Mesmo assim, e num país onde o salário médio está acima dos 5000€, a questão do preço dos combustíveis não é de todo uma preocupação dos islandeses.

5. Holanda – 1,61€/L

A Holanda é o país da Europa central onde os preços dos combustíveis são os mais elevados, e apesar de ser um país onde os salários são consideravelmente elevados, este é um dos motivos pelos quais cada vez mais holandeses têm apostado nos carros eléctricos, sendo considerado um dos países melhor adaptados para a utilização destes carros (Portugal ocupa a 8ª posição dessa mesma lista).

Cada holandês precisará de despender em média 115€ para percorrer 1000km.

4. Noruega – 1,65€/L

A Noruega é o país europeu onde são vendidos mais carros eléctricos, e o segundo no mundo, imediatamente a seguir à China, que numa dimensão totalmente singular vendeu mais de 120 000 carros eléctricos em 2018. Praticamente metade dos veículos vendidos no ano passado neste país nórdico eram movidos a electricidade.

É certo que o preço dos combustíveis noruegueses tem algum peso neste volume de vendas, mas num país onde o salário mínimo é de quase 3000€, a decisão recai sobretudo na mentalidade dos nórdicos que cada vez mais abomina a utilização de combustíveis fósseis.

3. Mónaco – 1,75€/L

O pequeno principado é um dos países mais pequenos do mundo, mas ainda assim está no 3º lugar dos países com a gasolina mais cara. Este é o sítio do mundo com mais multimilionários por metro quadrado, mas apesar disso, o salário mínimo são os mesmos 1500€ da vizinha França, onde practicamente todos os monegascos vão abastecer os seus automóveis.

Apenas os multimiliónarios abastecem os seus Ferraris, Lamborghinis, Bentleys e Rolls Royces nas poucas estações de serviço do Mónaco, gastando perto de 200€ para atestar o tanque dos seus potentes automóveis.

2. Hong Kong – 1,90€/L

Hong Kong é um dos países mais caros do mundo para se viver, mas é também o país onde os salários são mais elevados, e não é de admirar também que como tudo em Hong Kong, a gasolina também seja uma das mais caras do mundo.

A justificação para este preço tão elevado não só está relacionada com o alto poder de compra dos locais, mas também com o facto de a cidade estar superlotada e o governo ter aumentado os impostos sobre os combustíveis para incentivar os habitantes a andarem ainda mais de transportes públicos.

1. Zimbabué – 2,96€/L

No início de 2019, o presidente do Zimbabué decidiu duplicar o preço dos combustíveis, de modo a tentar limitar a procura, podendo fazer frente à escassez deste bem.

O Zimbabué atravessa agora a maior crise económica da sua história, e a falta de combustível já levou a que a polícia seja obrigada a transportar por várias ruas e a pé suspeitos algemados porque os veículos estão parados. Ambulâncias, autocarros escolares, transportes públicos e camiões de lixo são obrigados a passar vários dias na fila para abastecer de gasóleo ou gasolina.

Num país onde o salário médio são menos de 75€ por mês, pagar quase 3€ por um litro de gasolina é practicamente inimaginável.

 

Leia também:

Redes sociais:
Dúvidas no Standvirtual?

Aceda à secção de Ajuda

210 738 088 * * Dias úteis das 09h às 18h