standvirtual.com

O Nº 1 em Carros
Vender Veículo

Porque é que conduzimos pela direita? Conheça as origens e as razões

porque conduzimos a direita- condutor no lado direito da faixa de rodagem

Provavelmente já deve ter questionado os motivos sobre porque conduzimos pela direita. Ao contrário de outros países, como o Reino Unido, onde se conduz pela esquerda, Portugal faz parte de uma lista maior de países que conduzem pela via direita da faixa de rodagem do que pelo contrário.

Porém, a história revela que nem sempre foi assim e que, em tempos, já se conduziu pela esquerda nas estradas nacionais. Esta lógica foi apenas mudada há quase um século atrás.

Alguns dos incentivos nesta mudança foi dada graças aos media na altura. Estações radiofónicas e publicidade de cartazes com títulos espalhados pelas estradas apelavam para que se conduzisse pela direita, para que pura e simplesmente se criasse um pouco de ordem com a passagem dos automóveis e carroças com cavalos.

Uma vez que os automobilistas na época não tinham por base o conhecimento das regras básicas de trânsito como as tal conhecemos nos dias de hoje, tentou-se criar uma lógica simples entre os dois sentidos da faixa de rodagem.

Por outro lado, era bastante frequente utilizar a faixa esquerda um pouco por todas as nações espalhadas pelo velho continente europeu, até à então revolucionária França anular esta prática.

Para tal, é necessário recorrer às regras criadas pelo imperador francês, Napoleão Bonaparte, mas também entender outros factos históricos e perceber afinal porque conduzimos à direita, assim como a maior parte dos condutores espalhados por todo o mundo.

Porque razão conduzimos pela direita? Conheça a história


napoleão bonaparte com as suas tropas

Aquilo que hoje parece ser regra apenas no Reino Unido e nos países da Commonwealth, foi outrora regra quase geral. Conduzir pela esquerda era um hábito antigo, encontrado nas mais diversas e antigas civilizações, passando pelas épocas medievais até à revolução industrial.

Na época medieval, por exemplo, a mão esquerda era usada para tomar a rédea dos cavalos, deixando a mão direita livre para empunhar as lanças ou as espadas para combate. 

Para que fosse possível erguer uma espada com a mão direita, os soldados que fossem destros, circulavam sempre pela esquerda. Mais tarde, quando foram introduzidas as charretes e carruagens nas grandes cidades, o chicote era digno da mão direita, para que a punição fosse bem medida.

No entanto, é importante que perceba a evolução histórica que mudou este hábito na maioria dos países, incluindo Portugal.

A mudança imposta por Napoleão

Foi na era revolucionária francesa que esta prática/hábito de conduzir pela esquerda foi anulada. Por ordem do imperador Napoleão Bonaparte, os exércitos teriam que começar a circular pelo lado direito das estradas.

Pode dizer-se que a mudança deveu-se à “sede” de inovação imposta pela personalidade de Napoleão, mas também se pode dizer que o fator de gerar mudança teve por base um capricho do mesmo. Diz-se que Napoleão era canhoto. Facto é que a mudança acabou por se alastrar a toda Europa continental, por ordem deste.

Quer acredite ou não, os cocheiros das carruagens francesas sentavam-se sempre do lado esquerdo. Esta é uma clara explicação dentro de uma perspetiva cognitiva, da razão de ainda hoje termos os volantes dos nossos automóveis do lado esquerdo e consequentemente, o motivo de conduzirmos na via da direita.

Napoleão impôs esta mesma lei aos países invadidos pela França. Porém, quando o país se retirou dos demais conquistados, o hábito de condução permaneceu instalado.

Assim sendo, a partir dessa altura, todos as nações colonizadas pelo território francês ou dominados por Napoleão, adotaram a nova regra.

Há 91 anos que se conduz à direita em Portugal

carro antigo a conduzir do lado direito

Em Portugal, a mudança tomou lugar no dia 1 de Junho de 1928. Neste primeiro dia do mês, as novas regras de circulação foram adotadas para revolucionar os hábitos dos condutores portugueses com a obrigatoriedade de conduzir à direita. 

À época, o recurso à publicidade foi um bom aliado. Para consciencializar os portugueses para a alteração entrar em vigor, criaram-se dísticos com as palavras “Pela Direita”. Estes foram sendo espalhados por toda a parte, para contribuírem para a boa ordem da circulação automóvel.

Ao mesmo tempo, esta mesma publicidade era ouvida através de mensagens através da estação de rádio, colocada em vários estabelecimentos públicos como forma de alerta.

A condução à direita estreou-se em Portugal na cidade de Lisboa, a partir das 5 horas da manhã. No resto do país, a lei entrou em vigor na meia-noite desse mesmo dia. 

A regra foi igualmente aplicada à generalidade das colónias portuguesas da altura, deixando de fora países como Macau, Goa e Moçambique.

Ford contribuiu na mudança

Ford Model T

Para se demarcarem das ligações britânicas, os Estados Unidos da América contrariaram a obrigatoriedade de circulação pela esquerda, mas foi a Ford, a grande impulsionadora e maior responsável pela mudança. 

Apoiada pela falta de legislação referente às configurações dos automóveis, a fabricante norte-americana passou a produzir em série o Ford Model T, que vinha equipado com volante à esquerda.

Com as novas regras de circulação, e seguindo as pisadas da Ford, a indústria automóvel passou a fabricar automóveis com o volante instalado do lado esquerdo em todos os modelos produzidos em série, para fazerem precisamente a circulação pelo lado direito. 

Se sempre quis saber porque conduzimos à direita, certamente terá interesse em saber se ainda há países que circulam pela esquerda (além do Reino Unido). A resposta é que há ainda uma infinidade deles!

Na verdade, existem na atualidade 56 países ou territórios cuja condução é feita pela via da esquerda. Já pelo sentido da via direita, a totalidade de países ou territórios é composta por 144.

Leia também:

Porque é que conduzimos pela direita? Conheça as origens e as razões
5 (100%) 4 votos
Redes sociais:
Dúvidas no Standvirtual?

Aceda à secção de Ajuda

211 450 361 * * Dias úteis das 09h às 18h